Skip to content


Lei da Cópia Privada tira 2 milhões de euros por ano das escolas

Em toda a história da Lei da Cópia Privada, a incapacidade matemática dos políticos têm-me impressionado negativamente. Choca-me que em anos de crise orçamental pública haja falta de contas mesmo que de merceeiro sobre o impacto desta lei no Orçamento de Estado. Felizmente muita da informação está disponível on-line, o que permite que um mero cidadão como eu colmate algumas dessas falhas.

Segundo o GEPE (órgão estatístico do Ministério da Educação), no ano lectivo de 2008/2009 as escolas Portuguesas tinham uma média de 2,12 alunos por computador do 1º ciclo ao ensino secundário. Também segundo o GEPE, nesse mesmo ano lectivo, houve 1 393 655 matrículas nos mesmos graus de ensino. O que nos dá que em 2008/2009, as escolas Portuguesas tinham à volta de 657 000 computadores.

O tempo de vida de um disco rígido é de 3 anos. A taxa para um disco rígido de 500GB (o mais barato disponível para desktops actualmente) é de 10€+IVA (12,30€ ao valor actual).

Assim, o custo médio para os 3 anos de vida será de: 657 000 * 12,30€ / 3 anos = 2 693 700€/ano.

Quantos professores serão pagos a menos? A quantas famílias será cortado o apoio social? Que serviços fecharão as escolas? Tudo para pagar uma lei idiota, injusta e mal-pensada.

Quem quiser fazer-se ouvir sobre esta lei, pode assinar a petição em http://www.peticaopublica.com/PeticaoListaSignatarios.aspx?pi=pl118nao e/ou contactar os deputados responsáveis: http://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=36617 (nesta página está também o texto do projecto-lei – informe-se!)

PS: este valor aumenta com a evolução da tecnologia e aplica-se mais de metade já em 2012. Este valor também é a ponta do iceberg das despesas da Administração Pública em armazenamento.

Posted in Uncategorized.


No Responses (yet)

Stay in touch with the conversation, subscribe to the RSS feed for comments on this post.



Some HTML is OK

or, reply to this post via trackback.